Solitário Inconsciente Coletivo

Archive for the ‘Dona Alfreda’ Category

dona-alfreda2

Dona Alfreda tenho um problema todos os meus relacionamentos são desastrosos, quer dizer não tão desastrosos, eles começam bem, o primeiro tempo é cheio de lances lindos, a platéia aplaudindo as vezes até gol de placa rola, depois começa a embolar o meio de campo, a zaga se arma, confusão por conta das faltas, uma chuva de cartões amarelos e antes do apito final sempre ocorrem 2 ou três cartões vermelhos!

C.B.F., 32 anos, Jornalista esportiva

D.A: Primeiro, Olá minhas crianças que eu adoro. Bem, no campeonato de vida amorosa, pelo jeito tiveram  muitas partidas, mas isso não é ruim, sem competição não há vencedores, e pra ganhar é preciso jogar,  e ganhar é o que todo mundo quer (esqueçam que o principal é competir).

Quanto ao tipo de jogo que tu estás jogando tem uma coisa, não te empolga muito quando o jogo começar muito bonito, sabe por que? É quase certo que eles vão cansar no meio, e aí tu já sabes, é melhor time que joga certinho, passe certo, técnica apurada, bom entrosamento, afinal, drible sem gol não ganha campeonato, só serve pra se amostrar pros outros, e relacionamento bom é a dois e não a dois mil! Quando tu perceberes que a zaga ta começando a fechar, e o jogo tá muito recuado, é hora de prestar a atenção com as faltas, tanto com as que estais recebendo, quanto com as que tu estás fazendo.  Até por que a regra é clara, dois cartões amarelos valem um vermelho e quatro cartões vermelhos acabam a partida, então se tu achas que vale muito mais do que os 90 regulamentar, não te afoba, manda essa zaga proteger na manhota, observa a tática do adversário por que nesse tipo de partida ganha quem empatar.

————————————————-

Fotografia: Mike Mcglothlen

Anúncios

dona-alfreda1

Nesse mundo muderno as menina querem fazer as coisas de menino e os meninos querem fazer as coisa de meninas, isso dentro e fora de quatro paredes. Tudo deixou de ser o que era, o tempo deixou de ser tempo e virou dinheiro, o dinheiro deixou de ser dinheiro e passou a ser tudo. E o que era o tudo, antes? Na verdade o “antes” só existe pra ser copiado por esses caras que desenham as roupas que os mudernos tem que usar, minha neta diz que não é copiada é revisitada. Ah! Tem outros também que dizem o que os mudernos tem que escutar, ler, falar, ver…enfim, gente muderna pra mim é Maria vai com as outras.

O verbo desse tempo muderno é TER, todo mundo quer ter e ninguém esta muito interessado em SER, na verdade TER e SER são verbos muitas vezes confundidos pelos mudernéticos (ouvi minha neta chamar o namorado dela assim e adorei).

As melhores coisas do mundo muderno são pequenas, por isso o computador é do tamanho do telefone, o telefone  do tamanho do celular, o celular  do tamanho da caixa de fósforos, e a caixa de fósforos? Mais quando, continua do mesmo tamanho, mas quase ninguém usa.

A regra é: o menor é o melhor, bem isso não se aplica a tudo, principalmente quando o assunto é aparência. Em todo caso, no mundo muderno a gente pode fazer tudo, pode por aonde não tem, e tirar o que tem demais, e tem um monte de médico pra isso, e de picaretas também. Uma vez fiquei horrorizada de ver na TV uns aparelhos pra esticar o que está pequeno nos meninos, por que pequeno só pode ser o que se pode comprar numa loja, o que vem de fábrica natural tem que ser grande. Se eu não me engano quem explica isso é um tal de Freud, que também explica quase tudo no mundo muderno.

Era isso que a senhora queria? Queria que eu escrevesse em poucas linhas como eu vejo o mundo muderno? Tomara que tenha dado pra senhora entender, por que eu acho que vou morrer sem conseguir, mas como disse uma vez minha neta (a mesma de ainda agora) quando perguntei se ela entendia aquela pintura estranha do quadro, olha que ela me respondeu: “Entender não faz sentido, o importante é sentir”. Entendeu?

——————————————-

Fotografia: Mike Mcglothlen

dona-alfreda

Tenho uma vida profissional estável apesar de ainda poder chegar muito mais longe, faço análise a 10 anos, yoga a 13, tenho amigos, namorado, família, vida social, casa, carro enfim sou uma mulher moderna e independente…A senhora deve estar perguntando qual é o problema dessa garota? Estou passando por um dilema, acho que meu relógio biológico despertou e está na hora de ter um filho,  mas essa é uma dúvida muito cruel, o ser ou não ser mãe? Ajude-me dona Alfreda!
M.C.S., 30 anos, advogada, Qualquélugar.

DONA ALFREDA: Minha filha, essa é uma pergunta complicada, nessas horas eu dou graças a Deus de ser velha, hoje em dia é muito difícil ser mãe, depois que aquelas zinhas queimaram os sutião em praça pública, as mulheres passaram a ter muitas possibilidades, e essas muitas possibilidades acabaram gerando dúvidas e dúvidas sempre dão margem para angústia, decidir dói, sem falar no medo de fazer a escolha errada. Na minha época as mulheres quando se davam conta de que eram mulheres, já tinham toda a sua vida traçada, marido, filhos, casa… Para os que dizem que isso não é vida, eu respondo,  fui feliz com essa rotina.

Mas nos tal dos tempos mudernos pós feminismo (é assim que chamam o movimento que levou as zinhas lá queimarem os segura peito, não foi?) a mulherada não tem a opção de ser feliz como eu fui, “por que isso não é vida de mulher de verdade”, minha neta usa esse texto com uma superioridade, como se fosse a verdade absoluta. Mulher muderna (mulher de verdade) pelo o que eu entendo precisa ter, fazer e ser muitas coisas, tem que ser bonita, inteligente, boa profissional, amiga, amante e quem sabe mãe? Dificil pra vocês, ser mãe é uma das coisas mais legais que uma mulher pode fazer, mas ao mesmo tempo, requer que se faça a escolha por abrir mão de outras coisas legais também, no final das contas o melhor conselho a ser dado é : A vida é sua, e o suor também, gaste-os onde, como e com quem achar melhor, e isso inclui você mesma.

—————————————

Fotografia: Mike Mcglothlen


Fotografia: Alyz Tale

Eu?

Freud explicaria...

Quando?

Fotografia: Julie De Waroquier
Fotografia: Julie De Waroquier
outubro 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Quantos?

  • 29,787 hits