Solitário Inconsciente Coletivo

Archive for the ‘Cenas de um casamento’ Category

barbara-kruger-not-stupid-enoughPrimeiro

Baixou o tom de voz, melhorou os fonemas, conjugou os verbos e incluiu um pouco de silêncio entre uma frase e outra. Será que estou muda? Não, talvez esteja sumindo, nem o requeijão ele me pede pra passar.

Segundo

Andamos agora com nossos polvos solitários a tira colo, dentro do bolso. Só saem para dar tchau, pobre do meu, morre de saudade.

Terceiro

Nem a maquiagem a prova d’água está resistindo, então estás esperando o que?

———————————————————————————————

Imagem: Barbara Kruger

____Quer?

_____ Não

_____ Depois não reclama que eu não te dou nada

_____ Depois de todos esses anos, ainda não entendeste que o eu sempre quiz não precisa de permissão.

 

Imagem: Sylvain Norget (Até que a morte nos separe, sempre)

A qualquer hora, jogando qualquer jogo que envolva carro e velocidade no video-game.

___ Você é uma péssima motorista, completamente descuidada.

___ Não sou não, sou super cuidadosa.

___ O que me diz de sete batidas, uma capotagem e três reiniciadas de jogo em dois minutos?

___ Ah! então que os outros sejam.

___ Hã?

___ Que eles sejam cuidadosos e fiquem longe de mim, detesto pessoas descuidadas… Foi por isso que casei com você.

___ E o amor onde entra?

___ É o pano de fundo da estratégia de sobrevivência do meu material genético.

___ Eu também te amo, grossa.

___ Idem, leso.

Arte: Banksy

4

Em fevereiro de 1998

___ Quando eu te vejo eu sinto uma coisa única, meu peito parece que vai explodir de tanta felicidade.

___ São só hormônios…

___ Depois que tu começaste a estudar biologia tudo é sem graça.

___ Eu acho a reação dos hormônios uma coisa legal, não é sem graça, é como o corpo fala.

___ Então vou reformular, quando eu te vejo meus hormônios querem simplesmente me explodir só pra fugirem de mim e correr pra ti, é o meu corpo falando, é com ela que eu quero ficar.

Em janeiro de 1996

__ Tu estás gostando muito dele?

__ Não o suficiente pra desistir de nós, desculpa, tu ¬ainda consegue me amar?

__ Pergunta difícil de resposta fácil. Sim. Agora me beija antes que eu me arrependa.

Em outubro de 1994

___ Eu não posso te prometer fidelidade, muito menos serei o melhor homem do mundo. A minha garantia é zero, a única coisa que eu posso garantir é que eu quero, caralho como eu quero, poder ficar velinho e dizer que eu tive A história de amor, com uma mulher mágica que eu conheci, criatura feita de pura energia, com um abraço que aconchega até a alma, que tem uma boca pequena, macia e que de lá sempre sai alguma coisa que eu adoro escutar. E aí? Quer ser minha?

___ Poderias me perguntar qualquer coisa de roubar a matar, a reposta seria sempre sim, não tenho mais escolha, estou apaixonada.

Fotografia: Pascal Renoux

 

DSC01370

São nos teus braços, que ficarei quando a noite chegar, verei a luz do sol por entre as frestas do teu cabelo, e me refrescarei na brisa da tua respiração. Cada centímetro de pele em fronteira contigo. Ó rainha de terras vizinhas! Abrigue-me em seu reino, pois o melhor de mim está nas tuas cercanias. Cavaleiro de armadura encantada, não percebes? meu reino todo descansa na sombra do teu escudo e no brilho de tua espada.

 

Fotografia: Sue Costa

99786main_snr0540_xray

___ Silêncio, escuro, nada. Bum! Cores, movimento, eletricidade, tudo começou de começar.

___ Tudo o que?

___ Tudo! As coisas começam a se encaixar, rearranjos, perda de energia, estabilidade, instabilidade e o mais importante, um novo tempo, por conta do novo espaço, entendeu?

___ Acho que sim.

___ Então começam a se formar as coisas, as maiores, as menos maiores, as médias, as pequenas, as muito pequenas, as insignificantes, nós, eu e você. Ta acompanhando o raciocínio?

___ Bem, segundo vossa senhoria tudo começou com um grande baile de carnaval, depois foram se formando coisas nas diversas categorias,  e nós estamos abaixo das insignificantes, sendo que eu estou depois de você nessa escala decrescente, mesmo sendo dois anos mais velha. Pode continuar a sua grande explicação sobre o mundo.

___ Mas exitem outros começos, afinal mundos são muitos.

___ Universo paralelo? e lá eu venho antes de você hã hã.

___ Não, são os mundos dentro do mundo. Quer ver?  Silêncio, escuro, nada. Bum! A gente se conhece, cores, movimento, eletricidade, tudo começou de começar. Tudo! Entendeu?

___ Ah, agora ficou melhor, esse tudo eu conheço.

___ Gostou?

___ Sim, mas o que vai ficar abaixo do insignificante?

___ Eles.

————————————————————————–

Fotografia: Nasa (uma supernova)

img128225___ Não podemos ter tudo, eu já entendi.

___ Ótimo, então, vais querer o que?

___ Não podemos mesmo?

___ Não, precisas escolher, vais querer o que?

___ O mesmo que você, inseparáveis.

___ Então moço, sai dois cafés com leite e duas tapioquinhas com mateiga. Eu disse manteiga!

—————————————————–

Fotografia: Jordi Esteban


Fotografia: Alyz Tale

Eu?

Freud explicaria...

Quando?

Fotografia: Julie De Waroquier
Fotografia: Julie De Waroquier
agosto 2017
S T Q Q S S D
« fev    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Quantos?

  • 29,738 hits